Blog

Foi assinada a revisão do Contrato Coletivo de Trabalho entre a Associação Nacioanl das Farmácias (ANF) e o Sindicato Nacional dos Farmacêuticos (SNF), que estava em vigor desde 22 de Julho de 2012.

cct

Apesar de este contrato apenas obrigar os farmacêuticos sindicalizados no SNF, o seu mote, sobretudo no que diz respeito a tabelas salariais, acaba por ter repercussões na generalidade dos contratos assinados e, neste caso particular, em muitos contratos anteriormente em vigor. Como tal, era aguardada com alguma expectativa esta revisão que agora foi publicada.

No que diz respeito à tabela salarial não existem quaisquer alterações ao que havia sido acordado em Junho de 2012, ou seja, o período excepcional e a «situação insustentável para as farmácias» que foram os principais argumentos na negociação do primeiro acordo, mantêm-se por, pelo menos, mais um ano.

No anterior diploma, recorde-se, foi fixada uma redução de 10% em todas as categorias (excepto a de Diretor Técnico, sendo esta redução automática para novos contratos ou "acordada entre as partes" para os contratos anteriores. Foi também criada a categoria de "Farmacêutico de Grau V" nas tabelas remuneratórias com um retribuição mínima mensal de 1000€.

No CCT publicado em Junho de 2012, previa-se o acesso ao nível remunertório seguinte - a chamada "progressão na carreira - ao fim de dois anos de trabalho efetivo. Já na nova revisão, este período é alargado para três anos de trabalho efetivo, mas só a partir de 1 de Janeiro de 2015.

Revisão do CCT (29/01/2014)

CCT entre ANF e SNF (22/06/2012)